As diferenças e desafios de produção das indústrias de maquiagem gaúchas

Blog

Como estive muitos anos trabalhando com o mercado gaúcho e depois vim para São Paulo, eu costumo observar algumas diferenças e as principais dificuldades enfrentadas pelos empresários das indústrias de maquiagem do Sul.

As dificuldades que as marcas têm no Rio Grande do Sul são muito específicas, e um dos pontos bem importantes de citar é a proximidade da fronteira. A mulher gaúcha tem o costume de viajar para regiões como Rivera, Chuy, Jaguarão entre outras cidades com fronteira com o Uruguai onde os free shops estão. No caso da Argentina, não é exatamente o free shop, e sim, lojas que vendem produtos de maquiagem, como por exemplo, a linha completa de Maybelline da L'Oréal, a linha completa da Rimmel, por valores bem mais baixos que no Brasil.

Então, uma grande dificuldade das marcas no RS é concorrer com esses produtos que são trazidos por quem viaja para a fronteira, ou pelos profissionais já especializados em encomendas.
Então, a maquiagem que vende mais por lá são de linhas com valores mais econômicos.

Um dos grandes sucessos do estado foi a linha de maquiagem desenvolvida pela Panvel, uma rede de farmácias do sul. Eu tenho muito orgulho de ter participado do início desse projeto, auxiliando no projeto de coleções por estação lá em 2008. O sucesso até hoje dessa linha é um mix que une lançamentos de cores de moda, uma qualidade excelente pelo preço que custa e uma incrível distribuição, porque a Panvel está em cada esquina de Porto Alegre e no estado inteiro (hoje em dia em outros também).

A consumidora gaúcha
Uma característica forte da mulher do Rio Grande do Sul é que ela é uma consumidora de itens de maquiagem, que usa make todos os dias. E não é uma maquiagem básica com uma máscara de cílios e batom, é uma maquiagem completa. Faz parte do ritual de beleza delas, a pele, com corretivo, base, pó, e cada detalhe com sombra, máscara, lápis, batom, blush e se bobear o iluminador também… É uma mulher muito vaidosa que traduz essa vaidade num ritual de maquiagem bem completo.

Importante para uma marca no RS
Vendo pelo lado das marcas gaúchas é muito importante o investimento em experimentação. É fundamental ter equipes bem treinadas para explicar os produtos para a mulher. Algo que envolva a maquiagem completa, sentar ela na cadeira e mostrar o efeito aplicado na própria cliente – essa é uma das melhores formas de mostrar para a cliente os produtos e de quebra aumentar a média de itens vendidos por cliente. A consumidora gaúcha conhece maquiagem, usa várias marcas nacionais e importadas e sabe a sensação e o resultado que quer.

Característica Regional
Uma característica regional importante é a parcela maior da população com a pele muito clara. Então é de praxe, pensar em paletas com harmonia em fundos de pele mais rosado, caso o foco seja o publico do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Na formulação 
Eu observo uma coisa bem bacana nas gaúchas, elas se permitem experimentar outras texturas de pele que não só a matte, um motivo é que o inverno é mais rigoroso e a hidratação e a emoliência, junto com o viço da pele se tornam um dos principais objetivos. Principalmente a maquiagem de pele, a mulher acaba adquirindo produtos que entregam mais hidratação, e até mais brilho, mais glow. 

Eu me lembro muito do lançamento dos iluminadores da Nars. No sul eles foram febre, todas queriam o Orgasm e Copacabana. E o interessante é que o sucesso maior foi na versão stick cremoso mais que em pó. E isso se deu justamente porque além do efeito iluminador, elas buscam mais cremosidade. 
Elas seguem amando hidratantes labiais e gloss. A boca brilhosa e batom cremoso nunca sai de moda no Rio Grande do Sul. O matte até pegou, mas é impressionante como a hegemonia é do cremoso.