Pensando sobre maquiagem… tendências de décadas passadas

Blog

Todo texto de moda e beleza destaca quais as referências que os criadores utilizaram para a obra em destaque. No geral, mesmo quando a estética é super futurista, há sempre um embasamento que olha para décadas passadas, algo que deu referências para a criação. Falando especificamente de maquiagem, temos sempre acompanhado a moda de roupas, e por isso hoje vivemos um boom de referências dos anos 90, por exemplo. Pensando sobre isso eu queria compartilhar com vocês algumas ideias sobre essa forma de olhar o passado, mas refletir o presente.Eu destaco alguns elementos super importantes para avaliarmos nossa geracão e nossas maquiagens:

Primeiro, a tecnologia vigente da época. A tecnologia utilizada no desenvolvimento de produtos, isso influencia se teremos mais cobertura, menos, se a pele vai estar mais nude, mais à mostra… Por exemplo, agora, temos duas grandes tendências na maquiagem, o makeup "no makeup", essa linha mais natural, mais nude; e uma tendência que eu chamaria de "insta glam", que as garotas mais novas amam, principalmente pelo comprometimento com as mídias socias, a maquiagem já realiza o "photoshop" perfeito para as fotos.
Então, o que mais influencia na adaptação de uma referência, seja de que época for, é a tecnologia da época.

A década anterior também influencia. Como todo movimento de arte, temos a partida e a contra-partida. Toda década que surge, busca contrariar o que reinou na anterior, é como se fosse um contra movimento. Isso vemos em vários períodos artísticos e também na moda e beleza. Então, como exemplo clássico, temos os anos 80, suas cores fortes e estética carregada, e essa estética foi limpando até chegar ao minimalismo dos anos 90 seguido pela naturalidade solar do fim da década e começo de 2000. Agora, temos algumas direções como caminho, ainda temos algo extremamente natural e temos um contra-partida a isso que vem com elementos de grunge, de neo-neo gótico…

Os anos 90
Nos anos 80, a mulher entrou com força para o mercado de trabalho, e foi a época em que ela lançou mão de muitos elementos femininos na beleza, pois na roupa ela abusou de elementos que flertavam, por exemplo, com a alfaiataria masculina. Blazers com ombreiras e formatos de corte mais quadrados eram super comuns. Algo que alguns estudiosos comentam como uma forma de expressar a força do trabalho, ainda muito associada ao ser masculino. Nos anos 90, a roupa foi secando, a mulher foi ficando mais a vontade. Malha, moletom, tecidos que permitem mais movimento, entraram para a lista de opções. E a beleza também relaxou, foi ficando mais minimalista e pontual. Vimos aparecer muitos tons de nude, terrosos e marrons.

Revisitando
Quando revisitamos uma década costumamos ir primeiro pra paleta de cores-chave. Como dica para quem quer apostar nessa tendência por exemplo, dos anos 90, na makeup, eu inovaria na textura, pois é aí que as evoluções ocorrem. Naquela época, tínhamos texturas matte, mas não propositais, que tinham como principal problema a fixação e que eram o resultado da tecnologia da época. E uma cobertura de pele muito carregada, mais artificial, que era também o resultado possível do que se tinha em mãos em termos de produtos desenvolvidos pela indústria. O pó, por exemplo, era algo que era super diferente dos que temos hoje, pois agora temos opções mais translúcidas. Hoje podemos fazer peles mais viçosas, com coberturas mais suaves, que mostram um pouco mais os poros, e a espessura da cobertura de uma base, hoje é completamente diferente, muito mais fina e leve